Portal CDT/UnB - Notícia: Tecnologia: UnB adapta sistema de voto eletrônico para Defensoria Pública da União
Acesso ao portal CDT

Esqueceu a senha? clique aqui.

Quero me cadastrar no portal

Fechar

Parcelas Disponíveis

Senha para realizar a inscrição
Fechar
Acesso ao portal CDT

Esqueceu a senha? clique aqui.

Quero me cadastrar no portal

NOTICIAS
ULTIMAS NOTICIAS
Tecnologia: UnB adapta sistema de voto eletrônico para Defensoria Pública da União
11/09/2013

Equipe do Laboratório Latitude modificou a interface do software livre Helios Voting para atender as necessidades do órgão público na escolha dos indicados ao cargo máximo da instituição

 

 
Imagine as próximas eleições presidenciais: você em casa, almoçando com a família. Ou em qualquer lugar do mundo. Nada de filas ou santinhos jogados pelas ruas. Só você e seu celular com acesso à internet para fazer valer a democracia. Foram essas facilidades que possibilitaram a realização da eleição virtual organizada pela Comissão Eleitoral e Apuradora, composta por três membros da carreira eleitos pelo Conselho Superior da Defensoria Pública da União (DPU).
 
Por trás do projeto está a equipe do Laboratório de Tecnologias da Tomada de Decisão (Latitude), vinculado ao Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade de Brasília. O grupo de pesquisadores, formado por professores e estudantes de graduação e pós-graduação das mais variadas áreas, utilizou o software livre Helios Voting como base para o sistema de voto da DPU. "A escolha desse software foi feita após consultarmos professores especialistas em segurança da informação", justifica o coordenador do Latitude, Rafael Timóteo de Sousa.
 
O programa permitiu que os 521 defensores públicos de todo o Brasil só precisassem de 35 horas e um dispositivo com acesso à internet para escolher os indicados à lista tríplice que será encaminhada para a presidente Dilma Rousseff definir o próximo defensor público-geral federal. Para o atual dirigente da instituição, Haman Tabosa de Moraes e Córdova, a iniciativa é um embrião e foi bem avaliada pelos defensores. "Foi uma ferramenta que não causou qualquer transtorno, ao contrário, viabilizou uma eleição em âmbito nacional", diz.
 
O defensor público-geral federal defende que tecnologias como essa fortalecem a democracia. "A defensoria não é diferente da sociedade, é uma microssociedade. Trouxemos para dentro da instituição uma ferramenta confiável que possibilitou a democracia interna". De acordo com o dirigente, foram computados mais de 1.100 votos na eleição.
 
 
Emília Silberstein/UnB Agência
Haman Tabosa de Moraes e Córdova defende que tecnologias podem fortalecer a democracia
 
O SISTEMA – A preocupação com a segurança da eleição e a transparência do processo de votação foi essencial no desenvolvimento do projeto. "Como garantir segurança numa eleição em que a pessoa que vai votar poderá utilizar um dispositivo móvel? Era isso que o sistema provia", explica um dos participantes do grupo de trabalho da UnB, o doutorando Fábio Lúcio Lopes de Mendonça.
 
O sistema Helios Voting permite criar eleições nos mais variados moldes, tanto votações majoritárias, em que se tem vários candidatos e apenas um eleito, quanto por meio de listas, como é o caso da Defensoria Pública da União. "A última grande eleição que ocorreu no Brasil com uso do programa, além da que acabamos de organizar, foi a da própria Sociedade Brasileira de Computação", conta o professor Rafael Sousa.
 
O docente assegura que o software é capaz de garantir a segurança necessária em pleitos maiores. "A segurança é feita em vários níveis", esclarece o pesquisador. Ele explica que o primeiro deles está no próprio sistema, organizado em, no mínimo, três partes. Há ainda os sistemas de proteção do ambiente de uma rede, como firewall e antivírus, por exemplo.
 
"Entendemos que era importante buscar uma ferramenta que fosse confiável e, ao mesmo tempo, passível de auditoria", explica o defensor público-geral federal, Haman Córdova. "Trabalhamos em duas frentes, uma com a UnB, para utilizar esse protótipo e customizar para a defensoria, e outra com o SERPRO [Serviço Federal de Processamento de Dados], que auditou e viu que não houve nenhum tipo de mácula no resultado”, completa.
 
Além da Defensoria Pública da União, a Universidade de Brasília, por intermédio do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT/UnB) e da Faculdade de Tecnologia (FT), possui termos de cooperação com outros órgãos públicos federais. Entre eles, os ministérios do Planejamento, da Justiça e da Saúde. "Também temos muitas parceiras com o Ministério do Exército no que se refere à defesa cibernética", completa o professor Rafael Timóteo de Sousa.
 
 
Fonte: UnB Agência 
Últimas notícias
HACKATHON - FEIRA DE NEGÓCIOS E INOVAÇÃO
Data: 20/11/2019
Base de dados...
Saiba mais
MOMENTO EMPREENDEDOR
Data: 19/11/2019
Chegou o seu momento Empreendedor!!! Se inscreva para participar de um momento de troca de Experiência entre diversas Startups do DF...
Saiba mais
Feira de Negócios e Inovação 2019
Data: 05/11/2019
Inscrições Abertas - Feira de Negócios e Inovação - 2019 Nos dias 21 e 22 de novembro, o Ambiente de Inovação da UnB realizará a 9ª ed...
Saiba mais
BREVE DESCRIÇÃO DAS EJs
Data: 11/10/2019
Documento com uma breve descrição da Ejs do CDT/UnB...
Saiba mais
Projetos de Pesquisas
Data: 11/10/2019
Projetos de pesquisa em execução no âmbito do CDT/UnB...
Saiba mais
Universidade de Brasília - Edifício CDT
Campus Universitário Darcy Ribeiro
Brasília - Distrito Federal
Caixa Postal: 04397 Cep: 70904-970
E-mail: atendimento@cdt.unb.br
Telefone: + 55 61 3107-4100
Fax: + 55 61 3107-4136