Vitrine

 

 Vitrine teste 1

                                                                                                 Informações da proteção                                                                                                   
Título: Peptídeo antimicrobiano agelaia-kk derivado da peçonha de vespa social (Parachartergus fraternus) e seu uso como inibidor de aderência bacteriana
Nº da proteção: BR10 2020 022526 0
Instituições titulares: Universidade de Brasília (UnB)   | Link do site
Universidade Federal de Goiás (UFG)  | Link do site
Data do depósito: 04/11/2020
Tipo de proteção: patente de invenção
Inventores
Pela UnB: Márcia Renata Mortari  | Pesquisa UnB
Pela UFG: Ana Paula Junqueira Kipnis  | Lattes
Rogério Coutinho das Neves  | Lattes
André Kipnis  | Lattes
  Ana Carolina de Oliveira Carvalho  | Lattes
Unidades da UnB envolvidas do desenvolvimento da tecnologia 
Unidade Acadêmica: Instituto de Ciências Biológicas (IB)  | Link do site
Departamento: Departamento de Ciências Fisiológicas (CFS)  | Link do site
CLASSIFICAÇÃO
Classificação - Categoria: Saúde
Classificação - Subcategoria: Biomateriais e biomoléculas

 

 

RESISTÊNCIA MICROBIANA: UM CRESCENTE PROBLEMA DE SAÚDE GLOBAL

Bactérias e fungos nos acompanham por milhões de anos, e alguns deles nos desafiam por apresentarem riscos à saúde humana. A descoberta dos antibióticos no início do século XX revolucionou a medicina moderna e representou um grande salto na perspectiva de vida humana e animal. No entanto, nas últimas décadas, temos observado o avanço da resistência aos antimicrobianos convencionais e o surgimento de superbactérias multirresistentes, especialmente em ambientes hospitalares.

Uma das formas dos microrganismos de driblar processos de sanitização de equipamentos hospitalares é pela produção de biofilmes – matrizes que propiciam a colonização bacteriana sobre superfícies sólidas e fornecem proteção às bactérias contra substâncias tóxicas. Por isso, métodos que são capazes de destruir ou fragilizar os biofilmes são importantes estratégias de combate a microrganismos resistentes em materiais e equipamentos hospitalares.

Dentre algumas estratégias que combatem bactérias resistentes e biofilmes, encontram-se os peptídeos antimicrobianos sintéticos. Nesse cenário, pesquisadores da Universidade de Brasília desenvolveram peptídeos sintéticos derivados do peptídeo Agelaia-MPI, proveniente da peçonha de uma vespa social, promissores no combate a bactérias resistentes e ao biofilme que estas produzem.

Estes peptídeos inovadores se mostraram microbicidas e eficazes na eliminação de biofilme bacteriano contra Acinetobacter baumannii. Além disso, quando associados a um recobrimento polimérico, erradicou a aderência de microrganismos a instrumentos e equipamentos médico-hospitalares. Essa invenção foi eficaz contra diferentes cepas bacterianas multirresistentes causadoras de infecções hospitalares. 

 

VANTAGENS

• Combatem a formação de biofilme bacteriano, prevenindo o aumento da resistência das bactérias ao tratamento com antibióticos;
• Podem ser utilizados tanto em formulações farmacêuticas como em produtos saneantes destinados ao tratamento de superfícies;
• Podem ser utilizados em combinação com outros antimicrobianos, tais como carbapenêmicos, colistina, fluoroquinolona associada a aminoglicosídeo, rifampina, tigeciclina, monobactâmicos, ampicilina

 

 

Gostou dessa tecnologia?

 

Entre em contato com a Agência de Comercialização de Tecnologias (ACT) da Coordenação de Inovação eTransferência de Tecnologia (CITT) do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (CDT).

  

 

02botao contato A  03botao baixePDF A